maconha cannabis cultivo indoor legalização

Marcha da Maconha
1 2 3 4
420 Friends

Patrocinador Oficial:



Participe do diariodaerva.com Compartilhe!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Máquina de maconha medicinal com venda direta é novidade no Colorado

Na Califórnia já tem máquinas com maconha, mas elas ficam atrás dos balcões dos estabelecimentos autorizados e o produto é retirado por vendedores. A novidade no Colorado é a venda direta ao consumidor de maconha medicinal, após 3 meses da regulamentação da maconha no estado americano. Os usuários de maconha medicinal só precisam passar sua habilitação de motorista na máquina para se identificar.



O objetivo é vender a maconha para uso medicinal.
Usuário precisa se identificar para conseguir a maconha medicinal.

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

G-U-E-T-O Marcelo D2 e Mr Catra

RE-VO-LU-ÇÃO



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

MARCHA DA MACONHA SP 2014 - DIA 26.04

Dia 26.04, sábado, a Marcha da Maconha tomará as ruas pela legalização da cannabis. Afinal, a cada dia mais países se dão conta da falência da "guerra às drogas" e o Brasil não pode seguir nas trevas do proibicionismo. É hora de dizer basta às mortes, prisões e demais ingerências do Estado e abrir um sorriso à vida, à liberdade e aos potenciais usos médicos, industriais, religiosos e recreativos da maconha. Aconteceu o que @s caretas temiam: o futuro chegou, e ele é verde. Legalize _\|/_

+ Sem o fim da guerra às drogas não haverá desmilitarização, texto da juíza aposentada e membro da Law Enforcement Against Prohibition - LEAP Brasil: Maria Lúcia Karam

MARCHA DA MACONHA SP 2014

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

terça-feira, 15 de abril de 2014

The Gods Must Be Crazy

os deuses devem estar loucos.. tendo em vista a #NovaOrdemMundial

os deuses devem estar loucos..

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Repórter fuma maconha durante entrevista com o presidente do Uruguai.

Repórter fuma maconha ao lado do presidente Mujica. # Play

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

"Libertários não morrem" #RET

Filipe Ret no Estúdio Showlivre - Apresentação na íntegra



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Princípio da Lesividade (CF/88, art. 5°, XXXIX; Código Penal, art. 13, caput)

O princípio em análise ensina que somente a conduta que ingressar na esfera de interesses de outra pessoa deverá ser criminalizada. Não haverá punição enquanto os efeitos permanecerem na esfera de interesses da própria pessoa.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Colocando de modo mais claro, só podem ser criminalizadas condutas que causem danos a terceiros. Não se pode proibir nada porque se acha feio, porque se acha bobo ou porque alguma religião diz que vai para o inferno. Proíbe-se quando a conduta prejudica a terceiros.

Quando uma pessoa introduz uma substância no próprio corpo, ela prejudica, e quando muito, a si própria. Portanto, proibi-la de fazer uso de qualquer substância é inconstitucional (o STF decidirá se a criminalização do uso de drogas fere nossa constituição baseado neste princípio). Se a autolesão é crime, então tentativa de suicídio ou penitências religiosas também deveriam ser crimes, o que não tem o menor sentido...

Maaaasss, você poderia retrucar que o consumo alimenta o tráfico. Não! O tráfico surgiu apenas porque houve a proibição. Proíba-se o café. Amanhã o tráfico de café estará instalado, porque as pessoas querem consumir café... Ou maconha, queiram ou não, os sacerdotes e delegados de polícia.

PARA SABER MAIS:

Viva Rio: Criminalização do usuário de drogas é inconstitucional - http://vivario.org.br/drogas-ministros-da-justica-afirmam-que-criminalizacao-do-usuario-e-inconstitucional/

Instituto Brasileiro de Ciências Criminais: A Inconstitucionalidade do art. 28 da Lei de Drogas - http://www.ibccrim.org.br/boletim_artigo/4740-A-inconstitucionalidade-do-art.-28-da-Lei-de-Drogas

Revista Época: Maria Lucia Karam: Proibir o uso de drogas é inconstitucional - http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI5372-15223,00-MARIA+LUCIA+KARAM+PROIBIR+AS+DROGAS+E+INCONSTITUCIONAL.html

Jus navigandi: A inconstitucionalidade da criminalização do usuário de drogas - http://jus.com.br/artigos/21512/a-inconstitucionalidade-da-criminalizacao-do-usuario-de-drogas

domingo, 13 de abril de 2014

Faltou ainda: A guerra da maconha enriqueceu traficantes violentos, políticos e juízes desonestos e policiais corruptos.

E COM TUDO ISTO... ela não atingiu o seu principal objetivo declarado, que é o de DISSUADIR as pessoas de usar uma planta consumida há mais de 5 mil anos. O CONSUMO JAMAIS DIMINUIU. Muito pelo contrário.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

sábado, 12 de abril de 2014

Maconha medicinal será vendida em farmácias do Uruguai no 2º semestre de 2014


Maconha medicinal será vendida em farmácias do Uruguai no 2º semestre de 2014A lei que regula a produção, compra e venda de maconha no Uruguai, aprovada pelo Parlamento em dezembro de 2013, apresentará sua regulamentação nos próximos dias, dentro dos quatro meses de prazo máximo previsto para sua articulação.

O processo de implementação da lei, por outro lado, "terá outro ritmo", devido entre outros fatores ao "processo biológico da planta" de cannabis, que "não pode ser alterado pela ação humana", detalhou Calzada.

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

"Para que a maconha esteja disponível em farmácias, primeiro é preciso plantar, colher, secar, empacotar e distribuir", argumentou o secretário da JND, antecipando que tal processo não terminará antes do segundo semestre do ano.

Os requisitos dos prédios para cultivar maconha e o software empregado para os registros de consumidores legais e a emissão de licenças para os cultivadores são alguns dos aspectos que o regulamento da lei concretizará, segundo Calzada.

O secretário Julio Calzada da Junta Nacional Drogas realizou estas declarações à imprensa após participar da assinatura de um convênio entre a Junta uruguaia e o alemão Instituto Max Planck de Pesquisa Criminológica (MPI), um acordo que definiu como "muito relevante do ponto de vista acadêmico".

O diretor do MPI, Hans-Jörg Albrecht, louvou a política sobre cannabis adotada no Uruguai e a definiu como "um passo adiante nos mecanismos de controle de drogas" que vai ser "imitado por outros países nos próximos dois ou três anos".

Fonte: INFO ABRIL

sexta-feira, 11 de abril de 2014

MODA, EXPRESSÃO E ATITUDE: A ULTRA 420 CHEGA NA ZONA FRANCA DO AMAZONAS

A Ultra420 está aterrizando no Amazonas, estão todos convidados.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Rafinha Bastos diz que fumou maconha antes de entrevistar Jair Bolsonaro. Veja o vídeo.

O deputado Jair Bolsonaro falou que é contra a legalização da maconha pois a erva é "porta de entrada" para o uso de outras drogas mais pesadas.

Logo, Rafinha Bastos, 37, afirmou que usou maconha antes de receber o deputado federal Jair Bolsonaro, 59, em seu talk show Agora é Tarde na Band.

"Eu vou te dizer que eu fumei maconha a minha vida inteira e não fui para outras drogas. Aliás, eu vou te falar que eu fumei maconha antes de te entrevistar", disse o humorista. "E ainda te digo mais: eu fumo maconha com o meu pai", completou Rafinha Bastos.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

LEICONHA: Se fumar (maconha) não dirija!

Ministério da Saúde nunca advertiu, mas vale a pena lembrar: se você curte Tribo de Jah, frequenta luaus, já usou tererê ou sabe o nome de algum filme de Cheech and Chong, não dirija.



MAKING OF - LEICONHA


✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Poucos assuntos dão margem a tanta mentira, tanta deturpação, tanta desinformação. Afinal, quais os verdadeiros motivos por trás da proibição da maconha?



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

CNN WEED (documentário legendado)

O documentário WEED atraiu a atenção tanto de grupos a favor e contra, e foi financiado por uma das maiores cadeias televisivas, a CNN, que também o exibiu em horário nobre.

O documentário WEED, que tomou as manchetes dos jornais e foi exibido pela CNN no horário nobre, conta como Gupta viajou o mundo para esclarecer suas próprias ideias em relação ao debate. Parece que deu certo! Após a peregrinação de quase um ano, Gupta escreveu um editorial para o site da CNN se desculpando por sua posição contrária e por haver defendido tão fortemente a proibição da maconha.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

terça-feira, 8 de abril de 2014

O Vaporizador Volcano chegou no Brasil

Para quem não conhece o Vaporizador Volcano, e também não conhece as vantagens da vaporização, finalmente, chegou oficialmente ao Brasil, o melhor vaporizador de ervas do mundo, O Volcano Vaporizador, fabricado pela empresa alemã Storz & Bickel. 

O Vaporizador Volcano chegou no Brasil ✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

O preço é um pouco salgado, mas pra quem não quer se se incomodar com produtos contrabandeados e sem garantia, vale o investimento, pois todos os blogs e mídia especializada são só elogios para este produto que é o sonho de consumo da galera do Diário da Erva, e o motivo do valor alto é explicado pelo importador brasileiro: preço volcano.

O motivo de ser nosso sonho de consumo, é que utilizando da técnica da vaporização, nenhum sub-produto da combustão (ex. monóxido de carbono) é aspirada, a própria revista Superinteressante na edição especial sobre a maconha, fala sobre vaporizadores, como alternativa na redução de danos...:)

Mais informações em www.volcanovaporizadores.com.br

Maconha: Brasil discute mudanças, mas não vai votar agora. O GLOBO - domingo 6.4.2014

No último dia 20 de março, uma decisão do juiz Marcos Augusto Ramos Peixoto, da 37ª Vara Criminal do Rio, rejeitou uma denúncia do Ministério Público Estadual pedindo a prisão de um homem detido com nove gramas de maconha e 18 gramas de cocaína. Em sua sentença, o magistrado usou uma série de referências jurídicas para afirmar que o uso de drogas jamais deve ser visto como crime, mas sim, na pior das hipóteses, como um problema de saúde. Mais recentemente, na última quinta-feira, outra determinação, desta vez da Justiça Federal de Brasília, obrigou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a liberar o uso de um medicamento à base de canabidiol (CBD), derivado da maconha, no tratamento de uma criança com epilepsia.

Maconha: Brasil discute mudanças, mas não vai votar agora.

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Os ventos de flexibilização da política em relação à Cannabis sativa, que sopram fortemente no Uruguai e em estados americanos como Colorado e Washington, chegaram ao país. Em outubro do ano passado, um juiz de Brasília já tinha absolvido um homem flagrado com 52 trouxinhas de maconha e acusado de tráfico, ao entender que a portaria do Ministério da Saúde que inclui a erva no rol de drogas proibidas é inconstitucional. E, no Congresso, dois projetos de lei dão nova força ao debate. Em fevereiro, o deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ) propôs liberar a plantação de maconha em residências, além do cultivo para usos medicinal e recreativo. Mês passado, o também deputado federal Jean Willys (PSOL-RJ) foi mais longe, com um projeto que regulamenta produção e venda de maconha. O termômetro no centro de poder nacional indica que este ano, com eleições executivas e legislativas à vista, nada disso será votado. Mas toda essa movimentação reflete intensas transformações em torno do assunto. Enquanto, no Colorado e em Washington, a comercialização da droga por particulares foi liberada e rende lucros e impostos, o governo uruguaio deve divulgar até a próxima quinta-feira a forma como as autoridades locais cultivarão e venderão, controladamente, a maconha.

— Não digo que devemos seguir o Uruguai, mas não podemos ficar do jeito que estamos. Perdemos a guerra contra as drogas. O jeito agora é descobrir como reverter a derrota — comenta o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que vai promover uma série de audiências públicas para, até o fim do ano, produzir um relatório sobre a maconha que será entregue à Comissão de Direitos Humanos do Senado. — Há várias questões a responder. A maconha leva às drogas pesadas? Até que ponto estamos sacrificando pessoas que precisam de medicamentos com base na planta?

Esse relatório foi motivado por uma petição on-line no site do Senado que reuniu 20 mil assinaturas. São pessoas que pedem mudanças na legislação. Hoje, vale no país o artigo 28 da Lei 11.343, de 23 de agosto de 2006, que instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Sisnad). Segundo o texto, porte de drogas para consumo pessoal não deve ser punido com prisão. Mas a lei também diz que, para diferenciar uso de tráfico, o juiz deve atentar à quantidade, ao local e às condições do flagrante, além das “circunstâncias sociais e pessoais, bem como à conduta e aos antecedentes do agente”. Sem jamais especificar a partir de que quantidade de droga se configura o tráfico.
— Quando a polícia pega uma pessoa preta, pobre, diz “você não é usuário, é traficante”, e ela vai para a cadeia. Mas, se o usuário for de classe média, não vai — analisa o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, coordenador da Comissão Global de Políticas sobre Drogas. — As drogas no Brasil são formalmente proibidas mas, na prática, não, o que é gravíssimo. É um faz de conta. Melhor é regulamentar e educar, e agora o Brasil está acordando. Vamos discutir, vamos quebrar o tabu, ver do que se trata. FHC sabe que, em ano eleitoral, “se for discutir esse assunto vai virar ‘cara ou coroa’, e não é assunto partidário, é de saúde pública”. O tema divide opiniões no Parlamento, onde muitos se opõem a sequer debater uma mudança. O Poder Legislativo, contudo, não é o único caminho para a flexibilização, dizem especialistas. Está em trâmite no Supremo Tribunal Federal recurso extraordinário da Defensoria Pública de São Paulo contra a condenação do presidiário Francisco Benedito da Silva à prestação de serviços comunitários após ser flagrado com maconha numa cadeia em Diadema (SP).

No recurso, a defensoria questiona a constitucionalidade do artigo 28 da Lei 11.343 com o argumento de que fere o direito à intimidade e à vida privada. Em dezembro de 2011, o STF reconheceu a chamada “repercussão geral” da questão, o que significa que casos semelhantes em todas as instâncias da Justiça deverão seguir a decisão da Corte. Se, no julgamento do recurso, o Supremo decretar a inconstitucionalidade do artigo que prevê punição a usuários, porte e consumo estarão, de fato, descriminalizados, a exemplo do que ocorreu na Argentina, onde, em 2009, a Suprema Corte decidiu que usar droga é questão de liberdade individual, desde que não cause danos a outros.

O relator do processo é o ministro Gilmar Mendes, e não há previsão de debates em plenário. Mas, mesmo no STF, há risco de o assunto ser engolido pela campanha eleitoral, diz Ilona Zsabó, diretora-executiva do Instituto Igarapé, focado em segurança e desenvolvimento, e integrante da Comissão Global de Política sobre Drogas.
— O que queremos este ano é ter as cartas na mesa para fazer um debate aprofundado, sem polarização. Não pode ser uma questão de proibir tudo ou “liberar geral”. É um caminho do meio — comenta Ilona, corroteirista do documentário “Quebrando tabus”, que teve a participação de FHC. — Desde a lei de 2006, aumentou muito o número de presos por crimes relacionados a drogas. No Brasil de hoje, as drogas estão liberadas, inclusive para menores de idade, o que é um problema. Não está dando certo. Se esse mercado fosse regulado, teríamos controle.

Já os adversários da ideia acham que isso levaria à explosão de consumo, aumentando gastos na saúde para além dos impostos arrecadados.

— É uma ilusão achar que com a legalização e a regulamentação vamos controlar o acesso dos jovens às drogas. Já não fazemos isso com o álcool e o tabaco — afirma Analice Gigliotti, chefe do Serviço de Dependências Químicas e Comportamentais da Santa Casa da Misericórdia do Rio. — Está comprovado que maconha provoca a morte de neurônios. Em indivíduos vulneráveis, também eleva o risco de surtos esquizofrênicos e, como o tabaco, aumenta o perigo de problemas pulmonares, câncer no trato respiratório e nos testículos. Diretora-geral de Prevenção da Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas (Abrad), Mina Seinfeld de Carakushansky crê que a venda regularizada não evitaria um mercado paralelo, procurado por usuários que não gostariam de se identificar ou que buscassem preços mais baixos:

— É só termos paciência que isso ficará bem claro no Uruguai. Dizer que a guerra às drogas está perdida e que não adianta mais lutar porque todo mundo usa não é válido.

Governo não cogita legalização
No Uruguai, a regulamentação da venda, a ser divulgada esta semana, fornecerá mais subsídios para o debate. As pessoas poderão cultivar 480 gramas da droga, associar-se a clubes de consumidores ou comprar a maconha do governo, a um custo de um dólar por grama. Algo assim está longe de acontecer no Brasil, mas, em seu projeto de lei, Jean Wyllys prevê regulamentação de cultivo controlado, venda e uso da maconha recreativa e medicinal e anistia a presos já condenados por tráfico e sem vínculo com outros crimes. Ao propor mudanças na legislação que acredita serem importantes para o debate da saúde e da segurança pública, ele diz saber que poderá angariar oposições radicais. Mas afirma:
— Se eu não me reeleger, não tem problema. Não sou deputado. Eu estou deputado.

Ilona Zsabó pensa que a recente divulgação sobre os efeitos medicinais da maconha pode amenizar o preconceito. A decisão judicial que obrigou a Anvisa a liberar o medicamento com base no CBD para uma criança de 5 anos com epilepsia teve grande repercussão. O medicamento reduziu a frequência de suas convulsões drasticamente. Os efeitos medicinais de derivados da maconha, aliás, são bastante reconhecidos em países como o Canadá, cujo governo começou em setembro uma produção em larga escala de maconha medicinal. — Temos que deixar esse preconceito inventado nos anos 1930. A maconha era usada como remédio na Antiguidade, a ciência está redescobrindo coisas sabidas há milênios — critica o neurocientista Sidarta Ribeiro, diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Ainda longe de se envolver em debates sobre flexibilização, o Executivo federal continua a investir no combate ao tráfico. O secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Vitore Maximiano, considera a discussão importante, mas esclarece que o governo não trabalha com a hipótese da legalização: — Temos que ter, cada vez mais, equilíbrio entre redução de oferta e redução de demanda.

Fonte: O GLOBO

segunda-feira, 7 de abril de 2014

O melhor de Bob Marley

"É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito, que não lutam, mas também não vencem, que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se perante Ele, por terem apenas passado pela vida."

Bob Marley



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

# manteiga de cannabis

Para você que não quer fumar, pode incorporar a cannabis no seu cardápio, sendo que o THC é lipossolúvel (dissolve na gordura), se unindo com as partículas de gordura encontradas em certos alimentos.

Manteiga de Cannabis

Vamos a receita da Manteiga de Cannabis.
Ingredientes para a Manteiga de Cannabis:

50 gramas de cannabis
250 gramas de manteiga

Cozinha Cannabica: Modo de Preparo:
Derreta a manteiga em fogo baixo, até ela ficar dissolver totalmente. Acrescente as flores de cannabis e Deixe tudo fritando por uns 10 minutos em fogo baixo, não deixe ferver!!!! (cuidado para não queimar, e perder todo o THC).

Depois esprema tudo em uma peneira, o líquido esverdeado que sair é a base para todos os pratos cannabis.

Acrescente a manteiga em diversas receitas e bom apetite!

✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

domingo, 6 de abril de 2014

DEPOIMENTO DE UMA MÂE DE MACONHEIRO

Mãe falando sobre sua Experiência com seu filho maconheiro.



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

Meus Amigos Fazem Rima - #ConeCrewDiretoria

Diretoria no Comando! #BondedaMadrugada todos os dias!!!! #VouDefenderAMaconhaAtéoDiaQueEuMorrer



✔Curtir ✔Tweet ✔g+1 ✔Compartilhe!

/

Arquivo Retroativo: diariodaerva.com

#TOP10 última semana

#TOP10 desde 2010

Loading...
Ativismo no sentido filosófico

Site para maiores de 18 anos


Aqui você pode encontrar informações sobre maconha para o uso pessoal e medicinal. Devem ser utilizadas somente para fins informativos. Nós nunca incentivamos o uso de qualquer tipo de drogas e nunca fazemos apologia ao uso de maconha!

As informações contidas no diariodaerva.com devem ser utilizadas somente em países onde o cultivo de Maconha é Legalizado! Veja a legislação do país onde você se encontra.